Calcule seu IMC

  • Ex: 65,5
  • Ex: 1,70

Psicologia

Embora já há alguns anos a obesidade não seja mais vista como conseqüência exclusiva da falta de motivação do indivíduo em perder peso, o obeso ainda é alvo de preconceitos e discriminação. Hoje se sabe que a obesidade se trata de uma doença crônica de etiologia multifatorial, incluindo componentes genético-biológicos, endócrinos, ambientais, sociais e também psicológicos e psiquiátricos. No entanto, o preconceito – que é corroborado também pelo paciente obeso - resulta, na grande maioria das vezes, numa fragilidade emocional severa, no comprometimento da auto-estima e seu conseqüente prejuízo social.

Com esse quadro, muitas vezes o paciente percebe a cirurgia apenas nos seus aspectos positivos, negando as dificuldades que terá de enfrentar para cumprir todo o programa proposto pela equipe multidisciplinar no pós-operatório.

A opção pela cirurgia deve ser avaliada pelo paciente em toda sua complexidade. Trata-se de uma escolha. Feita a opção, o cenário fica mais claro, porém nem sempre mais simples. Muitas mudanças virão em muitos aspectos. Dentre elas a alimentação restrita e disciplinada, o emagrecimento rápido, o reposicionamento social, e, finalmente, o encontro com a nova imagem corporal. Soma-se a essas questões, a ansiedade e o confronto da idealização com a realidade. Facilmente se instala o desconforto emocional de um novo sujeito.

A entrevista psicológica pré-operatória tem como principal objetivo observar se o paciente conhece tanto sobre o procedimento a que será submetido, quanto sobre suas conseqüências. Mais que isso, o objetivo especial dessa primeira entrevista é destacar a fundamental participação e comprometimento do paciente em todo o processo pós-cirúrgico – imediato e tardio. É a conscientização da opção de um novo estilo de vida.

O acompanhamento psicoterapêutico é importante em todas as etapas do processo. A cirurgia é apenas o inicio, e suas mudanças acompanharão o paciente por toda sua vida. A cirurgia é uma intervenção no corpo que requer obrigatoriamente uma intervenção no modo de vida. Nesse contexto fica implícita a participação da família, pois seu apoio e colaboração é outro facilitador para assimilação das mudanças necessárias. A conquista da saúde física e emocional exige uma atenção contínua.

Em outras poucas palavras, o acompanhamento psicoterapêutico contempla também os fatores emocionais do tratamento cirúrgico e clínico, e ajuda o paciente a identificar e superar as particulares dificuldades que possam surgir. Conhecer e compreender melhor a si mesmo é fundamental para que esse caminho seja mais suave e muito bem sucedido.

Balão Intragástrico

 

Dr. Marcelo Z. Salem - CRM 59.961 - Mestre e Doutor pela Faculdade de Medicina da USP

contato@centrodecirurgia.com.br - Rua Dr. Alceu de Campos Rodrigues 46, conj 21, 22 e 23 Vila Nova Conceição - Cep 04544-000 São Paulo - SP | Tel: (11) 3849-0800

Centro de Cirurgia Avançada Dr. Marcelo Salem - Todos os direitos reservados - 2011

RS Web Interactive Dr. Salem agenciars.com.br